Laudo aponta 23 lesões em Henry causadas por agressões

Relatórios periciais concluíram que a criança tinha marcas “sugestivas de diversas ações contundentes e diversos graus de energia”

Os laudos periciais sobre a morte do menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, revelam que 23 lesões resultaram na tragédia que chocou o país.

Henry foi assassinado no dia 8 de março, dentro de casa, com ferimentos incompatíveis com uma queda da cama, como foi sugerido por sua mãe, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, presa na semana passada com o namorado dela, o vereador Dr. Jairinho, acusados de envolvimento da morte.

No laudo da reprodução simulada feita no apartamento onde Henry morava com a mãe, os peritos afirmam que “as lesões produzidas na vítima e o seu óbito ocorreram no interior do apartamento no intervalo entre 23h30m e 3h30m”, onde só estavam o casal e a criança.

Em outro laudo, o cadavérico, produzido pelo INSTITUTO MÉDICO LEGA (IML) todas as lesões são descritas minuciosamente, com as explicações dos peritos explicando, por exemplo, que diferentes equimoses não podem ter sido causadas por uma única ação.

Por isso, afirmam que elas “são sugestivas de diversas ações contundentes e diversos graus de energia”. Já as lesões intra-abdominais foram de alta energia, sendo decorrentes de um impacto mais forte.

O corpo de Henry também tinha infiltrações hemorrágicas no couro cabeludo em três regiões (parietal direita, occipital e frontal), que correspondem a três ações contundentes distintas, que chamam a atenção pela crueldade das agressões que teriam sido praticadas pelo vereador Dr. Jairinho com a conivência da mãe da criança, Monique.

Os policiais afirmam que o garoto levou chutes, bandas e pancadas na cabeça.

Confira a parte do laudo que fala das lesões:

Lesões no corpo de Henry Borel Medeiros
Lesões no corpo de Henry Borel Medeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *