Sinop em Destaque

Idosa recebe ligação e quase cai em golpe de falso motoboy em Cuiabá

Uma idosa de Cuiabá quase foi vítima do golpe do ‘falso motoboy’, no dia 27 de fevereiro, na capital. A vítima recebeu uma ligação e estava quase acreditando, mas decidiu chamar a filha para conversar um dos suspeitos por telefone, que decidiu chamar a polícia, quando chegaram o motociclista foi embora.

A vizinha da mulher também quase caiu no golpe, mas decidiu entrar em contato com o gerente do banco, para confirmar se era esse o processo realizado, o mesmo informou que o banco não faz dessa forma.

O golpe é realizado da seguinte forma, uma pessoa entra em contato afirmando ser funcionária da Caixa Econômica Federal (CEF), dizendo que um motoboy irá até a casa da vítima para pegar o cartão, pois ele foi fraudado, e que precisarão dele para que as transações sejam canceladas.

Os golpistas afirmam que o processo agora está sendo este, por causa da pandemia do novo coronavírus, para que os clientes idosos não corram nenhum tipo de risco ou tenham que ficar em filas do banco.

A Caixa Econômica informou que caso o cliente desconheça a operação financeira na sua conta, pode solicitar ao banco a contestação do valor. Para realizar esse processo é necessário assinar uma solicitação e declarar seu desconhecimento da transação.

Também informou que caso desconfie de ligação informando ser da Caixa, que desligue o telefone, procure o gerente na agência ou retorno para Central de Atendimento, na opção cartões do banco. Os números podem ser encontrados no site do CEF.

O banco não recolhe cartões destruídos e orienta que em casos de ligações oferecendo motoboy para buscar o cartão na residência, os clientes desconfiem e não forneçam nenhuma informação.

A realização de transações de valores expressivos no CEF, existem diversas etapas de confirmação de dados e somente com o fornecimento dos dados bancários, inclusive o código secreto (senha) é possível realizar as transações.

A Caixa esclarece que, por motivos de segurança, os dados de contestações e os casos de suspeitas de fraudes não podem ser expostos ao público em geral, mas apenas aos órgãos envolvidos nas investigações.

Fonte: Gazeta Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *